domingo, 29 de setembro de 2013

Resenha fofa da Isa. Leiam, vale muito a pena!!

Resenha: Com o Amor de Uma Fada da Lya Gallavote




Esse livro desde que eu vi a sinopse dele há um tempo atràs, não lembro quando, eu quero ler, mas como estou com uma lista enorme (mais de 300 livros) para comprar, acabo não comprando. Com isso de procurar parceria, como disse nesse (www) post, eu acabei fazendo parceria com a Lya. Só que ela não tinha livro fisico para me enviar, pensando nisso deu a ideia de me enviar o e-book e aí eu fui ler.

Comecei a ler e terminei no mesmo dia. E olha que eu estava fazendo outras coisas ao mesmo tempo, ou seja, Então, antes de qualquer coisa, muito obrigada Lya por me enviar o livro! <3

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Nome do Livro: Com o Amor de Uma Fada
Autora: Lya Gallavote
Editora: All Print
Nota: ♥♥♥♥(4/5)
Sinopse: Esthela é uma jovem fada, cuja primeira missão é ajudar Pedro, um garoto problemático que está prestes a se perder no mundo sombrio das drogas. Para isso, Esthela deixa Avalon e parte para o mundo mortal. Mas ela percebe que sua missão não será assim tão fácil quanto ela achou que poderia ser. O mundo mortal é uma tremenda bagunça e Pedro está mais perdido do que imaginava. Seria uma fada capaz de se apaixonar?

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Agora sim, depois de ver os dados no livro, a nota que eu dei e a sinopse, vamos a resenha mesmo.

O livro fala sobre uma fada chamada Esthela. Logo no começo do livro ela está se despedindo de uma das melhores amigas, a Iris, para vir para o nosso mundo, ter a famosa primeira missão, que é a que se comprida de forma positiva, garante a varinha mágica para a fada. Ou seja, não conseguiu comprir a missão do jeito certo, não ganha varinha.

Mas a Esthela não é a única que vai ter a primeira missão, a Anne, uma das melhores amigas dela, também vai ter. A da Anne não fala qual vai ser, mas a da Esthela sim. A missão dela é ajudar um garoto problematico de 17 anos a voltar a ser o bom aluno que era.

Esse aluno é o Pedro Henrique, mais conhecido como Pedro. Desde que seus pais se separaram ele começou a andar, digamos, no caminho errado. Largou os estudos de lado, começou a andar com o Paulão, um garoto que usa drogas, mata alguns tempos de aula, enfim, ele se tornou algo que se ele continuar, pode acabar com a vida dele.

O jeito que a Esthela encontrou para poder se aproximar do Pedro, é agir como a sobrinha da diretora. Para isso a rainha deu uma ajudinha, é claro, para que a diretora acredite e deixe a Esthela morar com ela.

Durante a leitura, a Esthela, que está em um mundo totalmente diferente do que estava acostumada antes, começa a sentir coisa que nunca havia sentido. E que antes de vir para o nosso mundo, ela não imaginava que iria senti aqui. Ela começa a sentir uma atração. Uma atração pelo Pedro, ele por ela.

O problema é que, conforme o tempo passa e eles sentem essa atração um pelo outro, no final, o que antes talvez ela não tivesse que ter, agora ela tem, ela precisa decidir o que vai fazer, pois assim que ela cumprir sua missão, ela deve retornar para Avalon, lugar onde ela vivia antes de ir em busca de cumprir a missão.

Mas não é só disso que o livro fala. Quando a Esthela vem para o nosso mundo, na escola da tia dela, ela conhece algumas pessoas. Algumas boas e outras ruins.

O Murilo é uma das pessoas boas. Eu gostei dele e em vários momentos achei que ele gosta sim, da Esthela, mas ao mesmo tempo tenho minhas duvidas. Abaixo um trecho sobre ele:

"Ele era meio alto, meio tímido e tinha o cabelo meio loiro."

Outra pessoa boa é a Marina. Ela foi uma das personagens que eu mais gostei, adorei o jeito dela. O estilo em relação a moda e fato dela comer e não se importar me fazer dieta. Porque também sou assim. Não gosto de dieta, a regra e comer sem medo haha. Aqui em baixo um trecho sobre ela:

"Ao bater os olhos em Marina, ficou admirada com o seu visual extravagante, bonito e chamativo, mesmo sendo tão semelhante com uma jovem bruxa. Tinha uma mecha roxa na franja, lápis preto nos olhos e um batom vermelho realçando os lábios. O esmalte preto com desenhos de estrelas brancas em todas as unhas deixou Esthela bem curiosa."

Outra personagem que eu gostei foi a Lívia, ela também é do bem, só acho que exagerou com esse medo de engordar. Quando vocês lerem saberão porque digo isso. Mas é preciso coisas assim para o livro ser interresante, legal, se em um livro os personagens sempre acertarem, qual será a graça? O que vai ter de legal um livro onde o personagem não erra? Não tem seu momento de quebrar a cara para aprender com isso?

Ai em baixo um trecho sobre a Lívia:

"Ela era alta. Não do tipo jogadora de basquete, mas sim de vôlei bem magras e atléticas. Realmente, Lívia usava roupas bastante coloridas. Era uma mistura bem alegre de cores cítricas. Verde, amarelo, laranja e vermelho. Seus óculos quadrados, com aros azuis, também ajudavam na composição do visual. Era branca, mas tão branca que parecia uma folha de papel. Tinha uma franja enorme que escondia um dos olhos e uma mecha azul na nuca e outras duas na lateral. Seu cabelo era desalinhado e todo picotado contornando o formato do rosto."

Mas um dos personagem que eu mais gostei foi o Bruno. Me diverti bastante com ele. Acho que até o fato dele ser gay, como ele mesmo fala no livro sobre ele em uma conversa com a Esthela, é o que é mais divertido. Não estou falando que ser gay é algo engraçado, uma piada, não me entendam mal. Estou dizendo que o fato dele ser gay e ter admitido isso é o que faz ser melhor, porque é a prova de que ele é sincero mesmo. E o jeito dele agir e falar, as vezes faz a gente rir um pouco.

Um trecho ai em baixo que fala dele:

"Ele tinha um rosto angelical e infantil. Os olhos pretos contornados com um leve toque de lápis, brilhavam tanto quanto os cabelos curtos e pretos, bem cortados. Usava um jeans cinza, uma camiseta de manga comprida com o decote “V” branca e um charmoso cachecol verde musgo de linha pendurado no pescoço."
O que gostei também é que nesse livro não vemos tanto o preconceito dos personagens com os gays, claro que na vida rela existe, mas existem lugares que nem tanto, ou talvez nem existam, enfim, é bom ter um livro que de vez em quando, fale sobre o mundo onde os gays não sofram tanto preconceito.

Que eu saiba eu não tenho nenhum amigo gay, a menos que ele seja e nunca contou pra ninguém. Mas mesmo assim sei respeitar eles como são. E acho legal o livro ter mostrado um personagem assim. Adoro livros que tenham um personagem diferente do que a sociedade acha correto.

Eu vi em algumas resenhas falando que esse livro é um livro infanto-juvenil. Eu diria ao contrário, não que ele não é, e nem que ele é, na verdade eu não diria nenhum dos dois. Eu diria que ele é um livro para qualquer idade, pois ele traz uma mensagem que qualquer idade pode entender muito bem.

No livro vemos que em momentos da vida temos que abrir mão de algo que seja importante para nós, para ter outra coisa que também seja. Em vários momentos precisamos decidir entre uma coisa e outra, e nesse livro ele aborda isso.

Outra coisa que eu falei e repito, é isso do jeito de tratar os gays. Nesse livro também aborda isso. Mesmo que não fale tão sobre isso, afinal o personagem principal é outro, acho que nos mostra o suficiente para entendermos um pouco sobre isso.

Enfim, eu quero dizer que super recomendo o livro para vocês, seja qual for a sua idade. Dei a nota 4, de no máximo 5, porque acho que a paixão entre a Esthela e o Pedro aconteceu muito rapido e o livro acaba muito rapido. Acho que podia ter um pouco mais de momentos ai nessa história. Mas isso não significa que o livro não seja bom não, tá gente?

Sobre a capa, mesmo ela sendo simples, digamos assim, em comparação com muitas que vemos por ai, eu gostei. E a fonte que usaram para o nome do livro, amei! E sobre a leitura, ela flui muito bem. Rapidamente você lê o livro e quando vê já acabou. E eu digo sem duvidar, quando acabei de ler o livro eu fiquei me perguntando, "já acabou? Mas foi tão rapido!", porque foi mesmo gente. Eu acabei em um dia.

Como eu disse lá em cima, o livro que eu li foi em e-book cedido pela Lya para resenha. Como o livro é em e-book, ele tem 117 paginas. E como no dia eu estava montando posts e pesquisando musicas, o mais correto, digamos assim, seria que eu demorasse para ler ou até nem terminasse no mesmo dia, mas não foi o que aconteceu.

Espero que tenham gostado da resenha. Em breve trago mais uma, só não sei de qual livro (estou lendo mais de um ao mesmo tempo).

Obs: Normalmente não posto trechos do livro nas resenhas porque fica complicado copiar o trecho se ele não está no computador, mas como é e-book eu copiei esses trechos para vocês.