sábado, 30 de março de 2013

Entrevista Jornal Nossa Folha Tiete 01-02-2013


 

 

 

 

 

 

BATE-PAPO

Perfil entrevista

Eliane Galavote

 

Arquivo pessoal

Eliane Galavote nasceu em 23 de agosto de 1973, em Mogi

das Cruzes (SP), da união de Benedito Galavote e Claride

Rodrigues Galavote. Está casada com Pedro de Sousa Sales

e é mãe de Caroline e Pedro Henrique. Trabalha como escritora

e professora.

Eu sou? Feliz.

Sinônimo de beleza? A beleza depende do seu estado

de espírito.

Um cantor e uma cantora? Victor & Leo e Ana Carolina.

Um ator e uma atriz? Wagner Moura e Fernanda

Montenegro.

Um sonho? Ser reconhecida como grande contribuinte à

Literatura de nosso país.

Amor? A falta de amor empobrece o homem.

Solidão? Jamais me sinto só. Mesmo nos momentos em

que preciso me isolar, para trabalhar, sinto a presença de Deus.

Deus? Está sempre comigo.

Religião? Católica.

Um filme? Preciosa.

Sonho de consumo? Publicar meus livros no exterior.

Um defeito? Perfeccionista ao extremo.

Uma qualidade? Honestidade.

Um lugar? Minha casa.

Um lazer? Andar de patins.

Qual o livro de cabeceira? Eu amo romance.

Qual profissão teria escolhido sem ser a sua? Não me

vejo fazendo outra coisa, principalmente, por ser escritora.

Um momento da vida para repetir? A maternidade.

Uma alegria? Minha família.

Uma tristeza? Violência no mundo.

Uma decepção? Política no Brasil.

Receita contra o tédio? Ler comédia-romântica.

Tem saudades do quê? Da minha infância.

Amizade é? Gosto muito de uma frase de Vinícius de

Morais que exemplifica bem o que é amizade: “a gente não

faz amigos, reconhece-os”.

Um(a) amigo(a) especial? Meu marido, além de ser o

amor de minha vida.

Palavra que riscaria do vocabulário? Inveja.

Um ídolo? Jesus Cristo.

Uma frase? Por vezes, sentimos que aquilo que fazemos

não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria

menor se lhe faltasse uma gota - Madre Teresa de Calcutá.

Nota 10 para: o incentivo de algumas editoras ao autor

nacional.

Nota zero para: a corrupção em nosso país.

Um grande homem ou uma grande mulher? Oscar

Niemeyer.

Planos para o futuro? Escrever, escrever sempre, escrever

cada vez melhor...

Um recado? Esqueça os tempos de amargura, mas nunca

esqueça o que eles lhe instruíram.