segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O que restou da Bienal?

Deveria ser anual. Mas não é. Por razões diversas que não cabe aqui citar.
Pelo leitor, a feira de livros mais agitada de São Paulo, deveria ser mensal.
Qual leitor não espera por dois anos para procurar um livro que tanto deseja e ainda o levar para casa autografado? Além de livros, tem também as palestras, os registros nas máquinas fotográficas e celulares de autores famosos e de estandes muito bem decorados. Caminhar
com entusiasmo pelos corredores largos, encarpetados, empoeirados, que de tanta gente presente, se tornam espaços quase impossíveis de se ultrapassar.
Conhecer um autor novo que já é tão famoso, e que por algum motivo, você nunca ouviu falar, mas ao ler a sinopse do livro, sabe que irá se apaixonar por suas ideias.
Para deixar tudo ainda mais especial, algumas editoras trazem autores internacionais que fazem a alegria de qualquer fã.
Animou? Então se prepare para participar da próxima feira em 2016. Um evento que é promovido para pensar em como o leitor pode estar mais junto do seu escritor preferido, ou apenas para relaxar e se divertir dentro desse universo maravilhoso das letras.